Opinião sobre os autocolantes "Agradecemos por não conduzir"

Leiam aqui sobre os autocolantes "Agradecemos por não conduzir".

Hoje recebi um e-mail de uma pessoa que transferiu 20€ mas acabou por desistir. Eis a sua explicação:

Depois de ter lido sobre a vossa ideia dos autocolantes e de, prontamente, te ter enviado um email, voltei a pensar na ideia, e a verdade é que cheguei à conclusão que não estou totalmente de acordo com a ideia de colar autocolantes no espaço público.
Não interpretes isto mal: não sou um opositor à ideia, estou convosco na motivação por trás da ideia, mas não concordo com a ideia ao ponto de eu estar activamente a colaborar nela.

Por isso guardem a contribuição e distribuam os autocolantes por outras pessoas, mas não contem comigo para os colar e por isso não mos enviem.
Boa sorte com esse projecto.

ps - Entretanto, continuo a contribuir fortemente com os autocolantes do passeio livre (com esses concordo bastante).

A verdade é que uma pessoa que participa na MC de Aveiro também me disse que concorda com a mensagem mas não como os autocolantes...

O meu objectivo é mesmo passar a mensagem e para isso preciso de espaço para o fazer, em locais públicos, na cidade. Eu se pudesse fazer graffiti, faria! Só que eu não sei e achos que os autocolantes são "bem mais pacíficos".

A indústria automóvel tem muito dinheiro e consegue pagar canais como a televisão, jornais e rádio, além dos "billboards" nas cidades. Eu estou em total desvantagem porque não tenho nenhum dinheiro! Mas creio que também tenho direito a propagandear as minha ideias, direito a poder exprimir-me. Como não tenho o mesmo dinheiro que a indústria automóvel tem, não posso concorrer aos mesmos canais de divulgação - decidi então criar as ferramentas para poder divulgar utilizando outros canais. Pretendo fazer o que as pessoas normalmente fazem para oferecer serviços - colar autocolantes nos postes onde há um grande fluxo de pessoas, como nos postes perto das passadeiras.

Quanto à poluição que os autocolantes fazem, tenho a certeza que será insignificante comparando com a que os carros fazem e que se ganhará bem mais.

Aqui um exemplo de uma poluição em que não posso utilizar os autocolantes do Passeio Livre para me manifestar. Neste caso acho por bem utilizar o autocolante agradecendo a quem opta por não conduzir e vir até ao parque a pé, de bicicleta ou transportes públicos. Quem veio de carro pode sempre reflectir.

Com o autocolante quero também "marcar território", deixar a minha marca, pelos locais onde passo diáriamente de bicicleta + comboio. Quero que as pessoas se sintam bem ao perceberem que existem outras a agradecer, naquele local, por terem optado de andar a pé, de bicicleta ou transportes públicos.

Autocolantes

É interessante a questão do espaço para qualquer um divulgar as suas ideias.

Há algum tempo que penso nisso e a meu ver deveria haver em cada rua um local, tipo quadro a cortiça ou plástico reciclado, onde se pudesse colocar o que se quer divulgar. Seria uma forma de cidadania activa.

Abraço e força com os autocolantes