Lisboa

warning: Creating default object from empty value in /home/massacri/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.pages.inc on line 33.

Bicicletada/Massa Crítica de Lisboa - Março 2009

Bicicletada com 54 pessoas. Podem ver fotos aqui e ler aqui um artigo do Jornal de Notícias sobre esta bicicletada.

Lisboa a ritmo lento começa a pedalar

jn1

in: http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Lisboa&Option=Interior&content_id=1184693

«Lisboa a ritmo lento começa a pedalar

Utilização da bicicleta na cidade já é promovida mas ainda há muita coisa para fazer. Ciclovias e sistema de partilha são os próximos objectivos para uma capital que até é mais plana do que muita gente julga

00h24m

CRISTIANO PEREIRA

"Eu já fui a pé de Sagres à Costa da Caparica", garantiu o vereador Sá Fernandes, durante um encontro com o JN para um passeio de bicicleta pelas zonas dos Jardins de Campolide e da ciclovia da Radial Benfica.

Descontraído, sem capacete nem acessórios de ciclista, montou-se numa "Berg" branca, um dos braços constantemente a apontar para o horizonte e a prometer que "em Setembro isto vai estar cheio de gente com bicicletas". É que, na sua óptica, as pessoas, para já, "não andam muito de bicicleta em Lisboa porque ainda não sentem segurança", disse, as pernas em rodopio num pedalar a 20 quilómetros por hora.

O vereador tem anunciado uma série de medidas para promover o uso da bicicleta: mais ciclovias ou a implementação de um novo sistema de uso partilhado, à semelhança da bem sucedida experiência das Vélib em Paris. Para já, estão quase todos em estudo ou em fase de projecto. Ao JN, Sá Fernandes afirmou que o objectivo é ter uma rede principal de 40 quilómetros de ciclovias: "A obra na frente ribeirinha entre o Cais do Sodré e Belém vai arrancar em breve e estamos a já estudar a ligação do Terreiro do Paço ao Parque Expo".

No que concerne ao uso partilhado, estão a ser analisadas "cinco ou seis propostas" do concurso público. "É um processo demorado mas em Setembro já devemos ter algo concreto", asseverou, garantindo que será "um sistema muito parecido com o de Paris" e que existe a preocupação de "fazer ligações nos interfaces de transportes públicos pois uma pessoa que venha de Sintra tem que saber que à porta da estação terá uma bicicleta". Não soube, todavia, dizer quanto é que isso custará à autarquia: "Até podemos nem pagar nada", projectou.

De cada vez que se fala em andar de bicicleta em Lisboa, não faltam reacções de espanto e cepticismo sobre a sua exequibilidade: levam-se as mãos à cabeça, temem-se "as subidas", citam-se "as sete colinas". Ora, o engenheiro civil Paulo Santos dedicou a sua tese de mestrado à "Contribuição do modo bici na gestão da mobilidade urbana" e estudou seriamente o assunto.

"Descobri que mais de metade da cidade de Lisboa é praticamente plana", referiu ao JN, citando áreas como "toda a zona ribeirinha do Parque das Nações a Belém e do planalto central que se estende desde o Saldanha até ao Lumiar, Alvalade, Telheiras, Benfica, Encarnação, Roma ou Areeiro". O engenheiro admitiu que "é claro que da Baixa à Graça ou ao Castelo, já se sofre um bocadinho", mas deixou uma pergunta no ar: "Qual é a percentagem de pessoas que mora na Baixa e trabalha ao Castelo ou vice versa?".

Uma das figuras públicas que já manifestou o seu cepticismo em relação a esta questão foi Marcelo Rebelo de Sousa. Em tempos, chegou a dizer que se há cidade onde não fazia sentido defender a utilização de bicicleta, essa cidade seria Lisboa. Sá Fernandes reage com ironia: "O professor Marcelo também já tomou banho no rio Tejo e pensava que aquilo não estava sujo".» 29.3.09 J.N.

Vereador Manuel Salgado considera mobilidade em Lisboa "completamente irracional"

in: http://www.construir.pt/2009/03/04/vereador-manuel-salgado-considera-mobilidade-em-lisboa-completamente-irracional/

Ricardo Batista
4 de Março de 2009

lisboa

«O vereador do Urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa (CML) defende a necessidade de se repensar totalmente o modelo de mobilidade na cidade por o existente ser "completamente irracional" e pôr em risco a sustentabilidade da cidade.

Monociclos em Lisboa

monoc

...dois monociclos :D
Um azul e outro laranja assim se cicla em Lisboa

Nós por Cá na Massa Crítica de Lisboa

Vejam o vídeo aqui. Já adicionei à página de clipping da MC. :-)

100 dias de bicicleta em Lisboa: Passeio dia 1 de Janeiro em Lisboa

Divulgado na mailinglist bicicletada_pt:

Caros utilizadores de bicicleta

Para oficializar o final do trabalho de campo desta tese de mestrado, "100 dias de bicicleta em Lisboa", vou repetir a "proeza" do primeiro dia deste projecto. Quando iniciei este projecto em 01 de Janeiro, achei que 100 dias de bicicleta num ano seria um objectivo ambicioso. Quase a ultrapassar os 200 dias, mais de 2000 km, e conhecido dezenas de outros utilizadores de bicicleta em Lisboa, alguns deles nestas andanças há mais de 15 anos, vou oficializar o final deste projecto, partindo da Praça do Comércio pelas 14:30h do próximo dia 01 de Janeiro de 2009, com destino ao Saldanha. Da Baixa da cidade em direcção ao Planalto Central, demonstrando mais uma vez que Lisboa é uma cidade com
inclinações suaves para a maioria das pessoa que nela moram, estudam e trabalham. Estão todos convidados para este passeio.
Enviei também um press release a diversos orgãos de comunicação social, a anunciar este evento. Poderão (ou não) estar lá alguns para ajudar a promover a bicicleta como meio de transporte. De qualquer forma, o passeio está aberto a todos, e quantos mais melhor.
A volta é, como viram, bastante fácil, e num dia feriado, com trânsito reduzido.
Vêmo-nos dia 1 de Janeiro, pelas 14:30h, na Praça do Comércio.
Abraço a todos.


Paulo Santos

Bicicletada/Massa Crítica em Lisboa - Dezembro de 2008

Partimos do Marquês por volta das 18h45 (nessa altura alguém contou 35 pessoas). Desde o início contámos com a companhia da jornalista Carla Castelo e de um cameraman  que participaram na MC até à chegada ao Rossio. A ideia penso que era arranjar footage para uma reportagem a emitir daqui a uns tempos, cujo mote foi a petição do João Branco pela inclusão das bicicletas na possibilidade oferecida pelo Governo de deduzir despesas com veículos não poluentes ou eléctricos no IRS.

A descer a Av. da Liberdade A Carla Castelo ia entrevistando o Miguel Cameraman à boleia na Xtracycle do Bruno

Descemos a Av. da Liberdade, e seguimos pela R. do Ouro (?), depois virámos à esquerda e voltámos para cima, onde parámos um bocado na Praça da Figueira, e alguém tirou umas fotos do grupo.

26 veículos unipessoais no espaço ocupado por menos de 2 veículos automóveis penta-pessoais

Depois arrancámos de novo e percorremos a Av. Almirante Reis até cá acima a uma rotunda, na Praça do Areeiro. Aí tirámos mais umas fotos e arrumámos as 25 bicicletas + 1 triciclo lado a lado para ver o espaço que ocupavam. Menos de 2 carros de 5 pessoas. :-) Houve um jogger que acompanhou a filha de 7 anos que seguiu de bicicleta, a partir da Praça da Figueira. E mais outra jovem participante de 8 anos, acompanhada pela mãe, que fez toda a Bicicletada. :-) Numa volta à tal rotunda do final, um carro da polícia abordou as pessoas que seguiam à frente, disse que tinham recebido uma chamada de alguém a dizer que "havia bicicletas a circular na via pública" e que tiveram que ir ver o que se passava. Os agentes disseram depois que tinham que ver se estavam todos sinalizados, e perguntou pelos coletes (ao que um participante respondeu que não eram obrigatórios).

Massa Crítica natalícia em Lisboa

Partimos do Marquês por volta das 18h45 (nessa altura alguém contou 35 pessoas). Desde o início contámos com a companhia da jornalista Carla Castelo e de um cameraman  que participaram na MC até à chegada ao Rossio.

A ideia penso que era arranjar footage para uma reportagem a emitir daqui a uns tempos, cujo mote foi a petição do João Branco pela inclusão das bicicletas na possibilidade oferecida pelo Governo de deduzir despesas com veículos não poluentes ou eléctricos no IRS.

A descer a Av. da LiberdadeA Carla Castelo ia entrevistando o MiguelCameraman à boleia na Xtracycle do Bruno

 

 

 

 

 

2009: Um Plano de Actividades Participado (Câmara Mun. de Lisboa)

Resultou!!!As votações funcionaram por parte da movimentação dos ciclistas!

«Pela primeira vez, o Município de Lisboa adoptou um Orçamento Participativo.
Até hoje nenhuma autarquia tinha aprofundado tanto a participação dos
cidadãos.
Os cidadãos não se limitaram a ter uma participação consultiva, nem restrita
a uma parcela insignificante do orçamento. Os cidadãos decidiram da alocação
de 5 M€ aos projectos mais votados de entre mais de 600 que propuseram.
Os cinco projectos mais votados, totalizando 5.130.176,00 € são os seguintes:
- 7 trajectos de pistas cicláveis: 2.680.176,00 €;
- Parque Urbano Rio Seco: 600.000,00 €
- Espaço Verde e Parque Infantil da Quinta dos Barros: 350.000,00 €
- Corredor Verde do Parque Eduardo VII – Monsanto: 1.000.000,00 €
- Acessibilidade para bicicletas: 500.000,00 €»

in http://www.cm-lisboa.pt/archive/doc/GOP_S_2009-2012_INICIAL.zip

(ver página 5 do PDF)

_______________________________________________________________

Plano de Actividades e Orçamento para 2009

Citando a página http://www.cm-lisboa.pt/?idc=41&idi=40942 :

«(...)desenvolvimento de uma rede de pistas cicláveis e de bicicletas de uso partilhado(...)»

 

 

psd chumba Bicicletas Partilhadas na Assembleia Municipal de Lisboa!

Uma ideia tão boa, a das bicicletas partilhadas, e o psd tem a vergonha de a chumbar!!! Shame on you psd!
As bicicletas partilhadas têm sido um grande sucesso em Paris e noutras cidades, e eu confio que vão existir também em Lisboa, sobretudo quando a maioria na Assembleia Municipal mudar,o que vai acontecer, de certeza, nas eleições autárquicas de 2009!

http://pedalofilo.wordpress.com/2008/11/19/bicicletas-partilhadas-de-lisboa-chumbadas

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/b36ec954d9b22b9f6b0171.html

 

Conteúdo sindicado