bicicletas

warning: Creating default object from empty value in /home/massacri/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.pages.inc on line 33.

Faixa em Madrid

;) «Me Encanta ir a trabajar en bici»

Madrid 1

Lisboa a ritmo lento começa a pedalar

jn1

in: http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Lisboa&Option=Interior&content_id=1184693

«Lisboa a ritmo lento começa a pedalar

Utilização da bicicleta na cidade já é promovida mas ainda há muita coisa para fazer. Ciclovias e sistema de partilha são os próximos objectivos para uma capital que até é mais plana do que muita gente julga

00h24m

CRISTIANO PEREIRA

"Eu já fui a pé de Sagres à Costa da Caparica", garantiu o vereador Sá Fernandes, durante um encontro com o JN para um passeio de bicicleta pelas zonas dos Jardins de Campolide e da ciclovia da Radial Benfica.

Descontraído, sem capacete nem acessórios de ciclista, montou-se numa "Berg" branca, um dos braços constantemente a apontar para o horizonte e a prometer que "em Setembro isto vai estar cheio de gente com bicicletas". É que, na sua óptica, as pessoas, para já, "não andam muito de bicicleta em Lisboa porque ainda não sentem segurança", disse, as pernas em rodopio num pedalar a 20 quilómetros por hora.

O vereador tem anunciado uma série de medidas para promover o uso da bicicleta: mais ciclovias ou a implementação de um novo sistema de uso partilhado, à semelhança da bem sucedida experiência das Vélib em Paris. Para já, estão quase todos em estudo ou em fase de projecto. Ao JN, Sá Fernandes afirmou que o objectivo é ter uma rede principal de 40 quilómetros de ciclovias: "A obra na frente ribeirinha entre o Cais do Sodré e Belém vai arrancar em breve e estamos a já estudar a ligação do Terreiro do Paço ao Parque Expo".

No que concerne ao uso partilhado, estão a ser analisadas "cinco ou seis propostas" do concurso público. "É um processo demorado mas em Setembro já devemos ter algo concreto", asseverou, garantindo que será "um sistema muito parecido com o de Paris" e que existe a preocupação de "fazer ligações nos interfaces de transportes públicos pois uma pessoa que venha de Sintra tem que saber que à porta da estação terá uma bicicleta". Não soube, todavia, dizer quanto é que isso custará à autarquia: "Até podemos nem pagar nada", projectou.

De cada vez que se fala em andar de bicicleta em Lisboa, não faltam reacções de espanto e cepticismo sobre a sua exequibilidade: levam-se as mãos à cabeça, temem-se "as subidas", citam-se "as sete colinas". Ora, o engenheiro civil Paulo Santos dedicou a sua tese de mestrado à "Contribuição do modo bici na gestão da mobilidade urbana" e estudou seriamente o assunto.

"Descobri que mais de metade da cidade de Lisboa é praticamente plana", referiu ao JN, citando áreas como "toda a zona ribeirinha do Parque das Nações a Belém e do planalto central que se estende desde o Saldanha até ao Lumiar, Alvalade, Telheiras, Benfica, Encarnação, Roma ou Areeiro". O engenheiro admitiu que "é claro que da Baixa à Graça ou ao Castelo, já se sofre um bocadinho", mas deixou uma pergunta no ar: "Qual é a percentagem de pessoas que mora na Baixa e trabalha ao Castelo ou vice versa?".

Uma das figuras públicas que já manifestou o seu cepticismo em relação a esta questão foi Marcelo Rebelo de Sousa. Em tempos, chegou a dizer que se há cidade onde não fazia sentido defender a utilização de bicicleta, essa cidade seria Lisboa. Sá Fernandes reage com ironia: "O professor Marcelo também já tomou banho no rio Tejo e pensava que aquilo não estava sujo".» 29.3.09 J.N.

Promover a utilização da BICICLETA como TRANSPORTE - Participe na iniciativa "Portugal é de Todos", promovida pela SIC, etc

Já respondi, a saber:
«I Propostas de actuação para o Governo e Parlamento
c)  Uma ideia para construir uma sociedade mais solidária
TOMADA DE MEDIDAS NO SENTIDO DE PROMOVER A UTILIZAÇÃO DA BICICLETA COMO
TRANSPORTE EM PORTUGAL: Alteração do Código da Estrada no sentido de valorizar e proteger o uso da bicicleta»;
«II Propostas de actuação para os municípios
c)  Uma ideia para construir uma sociedade mais solidária
TOMADA DE MEDIDAS NO SENTIDO DE PROMOVER A UTILIZAÇÃO DA BICICLETA COMO
TRANSPORTE EM PORTUGAL: Rede de bicicletas partilhadas a instituir pelos municípios nas povoações principais»;
«III Propostas de actuação para empresas e sociedade civil
c)  Uma ideia para construir uma sociedade mais solidária
TOMADA DE MEDIDAS NO SENTIDO DE PROMOVER A UTILIZAÇÃO DA BICICLETA COMO
TRANSPORTE EM PORTUGAL: Estacionamentos para bicicletas nas empresas bem como nas habitações onde seja possível».
Link correcto para se participar: http://aeiou.expresso.pt/gen.pl?p=25abril

Saída de Campo Março - Pedaladas de Primavera (Algodres)

A Associação Transumância e Natureza convida-o a participar e a divulgar a actividade que irá realizar-se no próximo dia 28 de Março. 
Com os melhores cumprimentos,
Filipa Viegas
 

Eng.ª de Recursos Naturais e Natureza
Associação Transumância e Natureza
Email: f.viegas@atnatureza.org
Tel: 271313915
Tlm:

Vereador Manuel Salgado considera mobilidade em Lisboa "completamente irracional"

in: http://www.construir.pt/2009/03/04/vereador-manuel-salgado-considera-mobilidade-em-lisboa-completamente-irracional/

Ricardo Batista
4 de Março de 2009

lisboa

«O vereador do Urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa (CML) defende a necessidade de se repensar totalmente o modelo de mobilidade na cidade por o existente ser "completamente irracional" e pôr em risco a sustentabilidade da cidade.

Centro de BTT das Aldeias do Xisto * Penela

bbt ald.xisto

14.03.2009 a 15.03.2009

Primeiro Centro de BTT das Aldeias do Xisto

No dia 14 de Março inaugura-se em Ferraria de S. João (Penela), o primeiro Centro de BTT das Aldeias do Xisto, que é também a primeira infra-estrutura do género em Portugal.

Este Centro é uma rede de trilhos de BTT permanente, incluindo um local central de acolhimento dotado de um conjunto de equipamentos dedicados exclusivamente aos praticantes de BTT de lazer. Está apetrechado com estacionamento, balneários, estação de serviço para bicicletas (lavagem, ar e mini-oficina) em regime deself-service.

O Centro é constituído por um total de 196km de trilhos do tipo Cross Country, sinalizados com marcações específicas adoptadas internacionalmente, com quatro níveis de dificuldade (verde, amarelo, vermelho e preto) adequados a todos os tipos de utilizadores, desde os que pretendem iniciar-se até aos mais exigentes. Um desafio à adrenalina por single tracks e caminhos surpreendentes.

No dia 15 pode realizar um percurso pedestre num dos primeiros troços da Grande Rota das Aldeias do Xisto.
Quem preferir um passeio a pé por entre a natureza e as paisagens do território do xisto, pode optar por acompanhar o percurso pedestre Ferraria de S. João (Penela) – Casal de S. Simão (Figueiró dos Vinhos).
Este é já um dos primeiros troços lineares da Grande Rota das Aldeias do Xisto, com a extensão de 11 km e duração aproximada de cinco horas.

Programa 14 Março
10h – Inauguração do Centro de BTT da Ferraria de S. João
10h30 – Início simultâneo de três percursos guiados (de 2 a 20 km)

Programa 15 Março
9h30 – Início simultâneo de três percursos guiados (de 29 a 75km)

Haverá oferta de lembranças, petiscos e duche. Possibilidade de pernoita em acampamento ou diversas opções de alojamento. Haverá um número limitado de bicicletas e capacetes para utilização dos participantes. Inscrição prévia aconselhada e gratuita.


http://www.aldeiasdoxisto.pt/images/icn_filepdf.gif); background-repeat: no-repeat; font-size: 10px; color: #8a0017; text-decoration: none;">PR Primeiro Centro BTT (PDF)

Organização

Promover a Bicicleta

Mensagem na mailing list por Frederico Bruno Ferreire:

Utilizadores fazem bom uso das bicicletas gratuitas

in http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1366252&idCanal=2100

Portugal com poucos incentivos à utilização de velocípedes

Conteúdo sindicado