bicicletas

warning: Creating default object from empty value in /home/massacri/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.pages.inc on line 33.

Vá de bicicleta para o trabalho - cartaz A4

Hugo Mora Jorge colocou na mailing list nacional a seguinte ligação:

http://www.ta.org.br/site/banco/7manuais/BiciTrab1/para_o_trabalho.pdf

Bicicletas disponíveis gratuitamente no Porto

Segundo o Pedro Serra na mailing list portuense:

«VAMOS TODOS PEDALAR
Data: De segunda a domingo, entre as 09h00 e as 20h00
Local: Complexo Desportivo do Monte Aventino
225 899 260/2
urban@bonjoia.org
Bicicletas disponíveis gratuitamente no Complexo Desportivo do Monte
Aventino.
Ao preencher uma ficha de identificação, os utilizadores recebem um
exemplar do regulamento. A utilização da bicicleta, até 48h, faz-se
mediante depósito da carta de condução, nº de contribuinte ou passaporte
e, para períodos superiores, até o limite máximo de 6 meses, mediante o
depósito de um cheque-caução. Os menores terão de ser acompanhados por
adultos.»

http://www.bonjoia.org/newsletter/167.htm

Proposta da Bicicleta de Utilização Citadina Albicastrense (BUCA) pelo Bloco de Esquerda

Bloco quer cidade a andar de bicicleta
Terça-Feira, 22 de Abril de 2008
Castelo Branco

Proposta da Bicicleta de Utilização Citadina Albicastrense (BUCA) vai ser
levada à assembleia de freguesia de amanhã

José Manuel R. Alves

O Bloco de Esquerda (BE) pretende incentivar o uso de bicicletas para
circulação na cidade de Castelo Branco. O partido defende a criação de uma
Bicicleta de Utilização Citadina Albicastrense (BUCA), um projecto que
levará no próximo dia 23 de Abril à assembleia de freguesia.
Luís Barroso, dirigente do BE albicastrense, recorda que Castelo Branco é uma
das 40 cidades portuguesas que integra o projecto de Mobilidade Sustentável.
“Perante esta medida devemos apostar em políticas proactivas que condicionem
o uso do automóvel como meio de transporte individual”.
De acordo com o responsável bloquista, “a inexistência de transportes
públicos apelativos e a construção desenfreada de parques de estacionamento

Foto do «ET»

DIA DA TERRA Biciclista em Setúbal

O DIA DA TERRA não passa despercebido em Setúbal. Escola Secundária comemora este dia com um desfile inédito e único em Portugal , onde mais de 300 participantes pedalam até ao centro da cidade para sensibilizar à necessidade de criar ciclovias nas cidades. Porque o objectivo da iniciativa interessa  a todos e não só à escola, chamamos a Vossa atenção(...)e deixamos em aberto a Vossa participação.

 Gabinete de Comunicação Paula Falcão Lima-Jaime Pinho -Florinda Trabuco(Professores da Escola Secundária D.João II de Setúbal)

Mulher de 76 anos morreu anteontem depois da bicicleta em que seguia ser abalroada por um carro

         Segundo o Hugo Mora Jorge (na mailing list nacional):
Uma mulher de 76 anos morreu anteontem depois da bicicleta em que seguia ser
abalroada por um carro, na Estrada Nacional 335-1, na Tocha. O condutor do
automóvel, que abandonou o local do acidente, está prestes a ser julgado por
um outro acidente, ocorrido em 2003, numa freguesia vizinha, Também matou uma
pessoa e abandonou o local do acidente.

Foi por volta das 16 horas que Maria Augusta Andrade sofreu o acidente que
viria a ser fatal. Depois de ter almoçado em casa da filha mais velha, na
povoação de Berlengas, freguesia da Tocha, concelho de Castanhedo, decidiu
voltar a casa, algumas ruas à frente, na bicicleta que, apesar dos seus 76
anos, a transportava nas "voltinhas pela terra".

"Ela saiu e seguiu em direcção à praia da Tocha. Eu, que estava aqui fora,
ouvi uma grande travagem e, logo a seguir, ouvi um estrondo e vi um vulto pelo
ar. Nunca pensei que fosse a minha sogra, só quando corri para o local e vi o

Bike Marathon Carlos Lopes

Segundo o Fábio Cunha na mailing list:

«Boas.

Sábado participei na Bike Marathon Carlos Lopes. Chama-se maratona mas era só uma volta de 37km por Lisboa, apesar de ser bem puxadita (média superior a 30km/h).
A minha parte preferida foi imaginar que aquelas centenas de pessoas de bicicleta estavam ali para participar numa MC, e digo-vos que em parte parecia mesmo uma... Ninguém estava lá para competir (apesar de vários acidentes) e quando passávamos em ruas movimentadas toda a gente fazia barulho: quem tinha campainhas, usava-as; quem não tinha, usava a voz. Depois era só ver o sorriso dos ciclistas e das pessoas nos passeios a bater palmas! Quem não sorria, claro, eram os vários condutores parados porque as ruas por onde passávamos estavam todas cortadas :P
Um dia a MC também será composta por centenas de pessoas...»
Conteúdo sindicado