A hora da Massa Crítica/Bicicletada

Olá Smile

Ontem conheci uma rapariga de Aveiro que me disse que gostaria de participar na Massa Crítica/Bicicletada, só que não pode porque trabalha em Gaia e não chegaria a tempo a Aveiro. Foi ela que me começou a falar da Massa Crítica/Bicicletada, creio que me reconheceu pelo nome, aqui do site. É uma pessoa motivada, tanto ela como o namorado, diz ela que o namorado é um dos "velhos resistentes", daqueles que vai sempre para o trabalho de bicicleta Smile

Esta não foi a primeira vez que conheci alguém que me disse que não podia participar porque não consegue chegar a horas ao encontro, por causa do horário de saída do trabalho.

Reflectindo sobre a minha situação, acho-me com sorte por trabalhar perto do centro da cidade e ter flexibilidade de horário no trabalho, assim posso quase sempre estar presente na Massa Crítica/Bicicletada.

Gostaria de saber se há pessoas que não conseguem participar por causa do horário e se sim, qual seria o horário que lhes daria mais jeito.

E como é nas outras cidades, ainda maiores que Aveiro? As pessoas conseguem sair do trabalho e estarem às 18h, 18h30 no local de encontro?

O melhor horário

pois eu também acho que este horário tem pouco a ver com a típica vida portuguesa, em que os horários de saída do trabalho estão cada vez mais distendidos. Mas também é um facto que começar mais tarde vai implicar que depois, com os atrasos, se caia em cima da hora de jantar, e isso é um desastre. Acho que a melhor solução mesmo é realmente marcar um ponto de início, à hora de sempre, 18h00m, e começar o percurso, que será sempre o mesmo, e com passagem a horas marcadas previamente em determinados locais. Em Aveiro, depois de sair do centro, poder-se-ia marcar um novo ponto na estação dos comboios, depois poder-se-ia voltar a passar no centro e seguir mais um pequeno percurso que voltaria ao centro, onde terminava a volta. Para não estarmos dependentes do telemóvel, poder-se-ia arranjar umas tiras, do tipo daquelas que já andei aí a colocar nas bicicletas, a dizer a mesma coisa mas também com a frase: a bicicletada passou por aqui hoje! Estas tiras, além de colocadas nas bicicletas, poderiam ser colocadas nos estacionamentos das mesmas, servindo de sinalização de passagem, Assim, se alguém chegar atrasado a esses pontos de encontro, pode saber se vale a pena esperar (como é normal o grupo sair atrasado do início...) ou ir atrás do grupo, a ver se o apanha.

Em Espanha, em que o horário normal dos funcionários termina às 15 horas, nada destes problemas se coloca. O grande mal é que vivemos fechados para dentro do nosso País, e nem sequer imaginamos como seria bom os políticos mobilizarem as pessoas para poder mudar os horários de trabalho, ou as pessoas mobilizarem os políticos. O facto é que em Espanha as pessoas conseguem ter maior disponibilidade para participar em movimentos cívicos, e isso vê-se nas ruas. Talvez por isso interesse aos políticos e empresas que as coisas aqui fiquem como estão!

Mensagem escrita por

Mensagem escrita por Marcos Pais para a ML:

Pelo que percebi a questão principal é a da hora da MC.
Em Lisboa também há pessoas que dizem que não podem às 18h.
Em primeiro lugar, a MC nunca começa às 18h. Essa é a hora de
encontro. A hora de saída é em média 18h45, porque há sempre
pessoal atrasado.

Se ainda assim em Aveiro esta hora é demasiado cedo, tentem
criar um ponto intermédio de passagem da MC, como existiu em
Lisboa durante bastante tempo, tipo 19h30.

---
JPCasainho - www.Casainho.net

Extracto de conversa entre mim e o Casainho no Messenger

sabes...nunca s consegue agradar a toda a gente
casainho diz:
pois, mas acho importante agradar à maior parte
Paulo diz:
o importante é q apareça yuma malta fixe
casainho diz:
pretendo saber qual é a maior parte
Paulo diz:
essa tua amiga s trabalha em gaia porque é que não participa na MC porto?
e s ela organizasse uma em gaia?
as pessoas só sabem pôr problemas...
à espera q deus nosso sr. os resolva
casainho diz:
fazer em Gaia? mas ela não é de Gaia, ainda aconteceria o mesmo que aconteceu em Portimão
Paulo diz:
e esquecem*s q as coisas p funcionarem bem têm d ser muitas vezes DIY
do it yourself
casainho diz:
Paulo, tu não tens horários de "trabalhador" de empresa
casainho diz:
certo? :-)
Paulo diz:
errado
Paulo diz:
amanhã entro às 11h e saio às 19h
Paulo diz:
a MC não é feita p os «trabalhadores»!
é para uma malta porreira
q quer fazer um passeio reivindicativo
os trabalhadores atarefadíssimos q vão passear ao domingo
casainho diz:
bem, não concordo com essa ideia da MC não ser feita para os "trabalhadores"
Paulo diz:
ou vão d bicla p o trabalho
ó meu
tu queres aparar o jogo a essa gaja
casainho diz:
?? ehehe - não, foi como disse, já não é a primeira vez que me dizem o mesmo
Paulo diz:
e esqueceste d q a mc é «festeje uma vez por mês e ande todos os dias»
casainho diz:
ok, e o festejo tem de ser acessível a todos
Paulo diz:
não tem
Paulo diz:
é impossível
casainho diz:
todas as pessoas trabalham e não vão arriscar problemas no emprego pelo encontro
casainho diz:
ok, acessível à maior parte das pessoas
Paulo diz:
s fosse possível já tinham desaparecido os carros todos!
os «trabalhadores» são, na sua maioria
casainho diz:
achas que teria lógica fazer o encontro em horário laboral?
Paulo diz:
pessoas bem colocadas na vida
q não querem nunca arriscar
e têm medo
destes movimentos
pensa globalmente
e age localmente
casainho diz:
agora estou preocupado com o localmente
Paulo diz:
a maioria dos trabalhadores sai às 18h
casainho diz:
ok, às 18h, e achas possível que cheguem às 18 horas ao encontro?
Paulo diz:
portanto 18h com 1\2 hora d tolerância dá para q os locais apareçam
meu: em 1\2 hora fazes no mínimo 5 km
casainho diz:
eu acho que não dá a 1/2h, mas, para ficar esclarecido, gostavam de ouvir outras opiniões
Paulo diz:
achas q aveiro tem uma extensão muito maior q 5 km?!

casainho diz:
porque nunca se sai às 18h
Paulo diz:
se não saem é porque são explorados
então façam greve
casainho diz:
e porque a maior parte das pessoas até virá de carro ou comboio do trabalho e terá de ainda ir apanhar a bicicleta a casa
Paulo diz:
e protestem contra os patrões q são uns caretas
acho q estás a sonhar
s as pessoa s motivarem há sempre gente q aparece
casainho diz:
lembro-me de já ter falado com pessoas que participaram cá que tiverem esse problema
Paulo diz:
eu por mim acho q não dá para ligares a queixinhas desse tipo
como o dessa tipa
casainho diz:
por exemplo, uma das raparigas que trabalha na CM de Albergaria, e que não conseguia porque vinha de carro e não tinha a bicicleta para participar - por isso participou com a BUGA, mas depois nunca mais participou
Paulo diz:
ou o joão mota q é outro do género: mais educação, mais organização...mais tretas
mas na prática balda*se logo `a primeira
ja´vi q estás a pensar ser um bom samaritano
casainho diz:
bem, vou tentar saber mais opiniões, especialmente das pessoas locais, de quem se mostrar interessado em participar
Paulo diz:
estás muito preocupado com as coitadinhas q andam d carro e não aguentam
casainho diz:
então, se não há pessoas que participam
Paulo diz:
com a pedalada!
Paulo diz:
eu ja´ te expliquei q nunca conseguirás convencer as pessoas s não tiveres uma atitude militante
e aí é q entram os folhetos bandeiras cartazes etc
e tu pela tua experiência
casainho diz:
para andarem mais de bicicleta? - eu acho que deve ser a própria bicicleta a as convencer
Paulo diz:
até pelo q viste em coimbra
é q deves dar o exemplo
percebes?
casainho diz:
não percebo ainda
Paulo diz:
a bicicleta não pensa nem tem um discurso coordenado
casainho diz:
tenho andado a tentar perceber o que poderá levar as pessoas a andarem mais de bicicleta
Paulo diz:
acho q não estás a perceber a essência das coisas:«passeio reivindicativo»
se não tiveres uma mensagem ideológica não convences ninguém
ou tens ideias ou não
e essas ideias estão nos folhetos também
e no site
que tem a ligação no folheto
casainho diz:
okok
casainho diz:
vamos a ver se consigo perceber
Paulo diz:
tenta
sabes: nós vivemos num mundo selvagem e muito egoísta
e sem solidariedade justiça social ecologismo etc não se consegue realizar nada d colectivo
e as coisas colectivas realizam*s com militância
repara: não tem sentido realizar uma MC às 5 da manhã
ou à meia noite
ou ao meio dia
parece q a melhor hora é às 18h porque coincide com a hora d ponta
e aí é q entra o factor reivindicativo=manifestação=folhetos=bandeira=cartazes
e contraste d várias pessoas a andarem d bicla com uma multidão q s arrasta dentro dos carros
percebes?

Pois, compreendo essa

Pois, compreendo essa ideia do tentar mostrar a diferença entre os engarrafamentos, filas de carros em hora de ponta e o circular rapidamente de bicicleta nas mesmas filas.

Gostava de saber se para a maior parte das pessoas é possível ou não fazerem a MC/Bicicletada às 18h. Porque se a maior parte das pessoas estão ainda a trabalhar ou a sair do trabalho a essa hora e não poderão participar, então aí não fará sentido (na minha opinião), fazer a MC/Bicicletada a essa hora.

Vou esperar que os interessados se manifestem, não só aqui, vou também perguntar pessoalmente às pessoas que conheço, que já participaram e deixaram de participar. Seja o horário ou outras questões, estou interessado em saber.

---
JPCasainho - www.Casainho.net

Sim

parece*m interessante ser por volta das 18h porque se faz o contraste das bicicletas com os automóveis em hora de ponta!