[ FORUM VELOCIPEDI@ ] Bloglines - Ciclista de 82 anos ia namorar e foi abalroado

A. Pedro Roque Oliveira escreveu

Contrastando com o tom lamechas da notícia levanto algumas interrogações que
julgo pertinentes:

.. Quantos são os homens de 82 anos que pedalam ao invés de ocuparem a cama
de um lar ou terem acabado os seus dias há muito?

.. Quantos namoram com essa idade?

.. Será que a sua morte não pode ser considerada gloriosa, apesar de tudo?


in JN
Vítima foi colhida mortalmente por uma carrinha quando ia a atravessar a
estrada
Ontem
HELENA SILVA

Jaime Grilo, residente na Guia, em Pombal, não se separava da sua bicicleta.
Pegava nela todas as tardes para visitar a mulher por quem estava apaixonado.
Esta terça-feira, não se apercebeu da carrinha que o abalroou e lhe tirou a
vida.

O acidente abalou a vizinhança do homem, de 82 anos, que já tinha sido
avisado, por diversas vezes, para deixar de andar de bicicleta. "Apesar de ser
ainda uma pessoa muito dinâmica, ele já não tinha a mesma destreza de
outrora. Estávamos sempre a avisá-lo", contou um vizinho, visivelmente
consternado com a situação.

Na casa da vítima, dois dos filhos eram a imagem da desolação. "Ele teimava
em andar de bicicleta", contaram ao JN, revelando que, há alguns anos, já
tinha sofrido uma queda que o levara ao hospital. Mas assim que recuperou,
voltou a pegar na bicicleta e todos os dias ia dar uma voltinha.

Segundo os filhos, o homem estava apaixonado por uma senhora, de 70 anos, que
morava algumas ruas acima, a poucos quilómetros de distância. Era com ela que
Jaime Grilo passava as tardes, há já alguns anos.

"Arranjava o farnel, punha-o na bicicleta e ia ter com ela. Ali estava duas ou
três horas e depois voltava para casa", explicou Noel Alexandre, um dos
filhos.

A relação já tinha alguns anos. De acordo com o filho, os dois até já
tinham vivido juntos, depois de terem ido a Espanha para celebrar o casamento.
"Decidiram casar lá para não perderem o direito às reformas", explicou.

Apesar da experiência da vida em comum não ter resultado, os dois idosos
decidiram continuar a encontrar-se. Jaime Grilo ia, todas as tardes, a casa da
mulher, montado na sua bicicleta.

"Nas subidas, já levava a bicicleta à mão, mas nas rectas, ainda pedalava",
explicou o filho.

Foi numa recta que, ontem, ao início da tarde, o ciclista foi colhido por uma
carrinha, que se dirigia à estação de caminhos de ferro. Como fazia aquele
trajecto todos os dias, o idoso ter-se-á distraído e não se terá apercebido
da aproximação do veículo. Até ser tarde de mais.

A carrinha terá apanhado a roda traseira da bicicleta e o homem foi projectado
para o passeio, onde bateu com a cabeça no lancil. Quando chegaram ao local,
os Bombeiros de Pombal ainda tentaram reanimá-lo. Mas já não havia nada a
fazer.

Comentários

Frederico Bruno escreveu ao JN

Disse:

«Foi desta que venci a inércia.

Ando há muito para começar a escrever aos jornais, pois penso que parte da 'nossa luta' tem que passar por aparecermos nos jornais, também nas cartas aos editores.
Umas vezes para dar os parabéns ou 'batendo-lhes' por notícias erróneas, outras tentando contribuir para esclarecer alguma notícia, ou mesmo escrevendo só para puxar o assunto.

Se quiserem podem ir ver a minha Carta ao JN

«Posted on September 12th, 2008 in Bicicleta... by Frederico

Ando há muito tempo com a ideia de começar a escrever aos jornais comentando notícias dadas de forma errónea, dando os parabéns por abordarem o tema, ajudando a esclarecer algum ponto ou simplesmente tentando puxar o assunto das bicicletas para os jornais.

Esta notícia: Ciclista de 82 anos ia namorar e foi abalroado - não a notícia em si, mas a forma como aparece - finalmente fez-me mexer e escrevi um mail ao Jornal de Notícias.

Boa tarde,

Escrevo-vos por causa de uma notícia por vós publicada ontem dia 10 de Setembro Ciclista de 82 anos ia namorar e foi abalroado … que me deixou chocado!

Todo o tom da notícia serve para dar a sensação que o culpado pelo acidente foi o octogenário, mas lendo com atenção verificamos que o Sr. foi abalroado por detrás NUMA RECTA!
É incrível como neste país se continua a branquear os maus condutores e a pôr o ónus dos acidentes nos mais fracos.
Segundo a vossa notícia o caso é muito simples: uma pessoa que vai no seu veículo numa recta é abalroada por detrás por um outro veículo e morre. No meu entender isso deve constituir algo como homicídio por negligência.
No entanto a notícia é transmitida pondo a culpa no malandro do velho que é teimoso e apesar de avisado preferiu fazer-se atropelar porque insistiu em andar de bicicleta!

Já calharam pensar que o Sr. chegou aos 82 anos exactamente por andar de bicicleta? E que se não fosse o ‘assassino’ que o abalroou quem sabe até que idade chegaria…
Já pensaram que em vez de branquear os maus condutores deveriam denunciar e contribuir para que acidentes deste género não aconteçam no futuro? Nomeadamente lutando por que os nossos governantes invistam na educação dos condutores (qualquer que seja o veículo que conduza), no cumprimento do código da estrada (principalmente no que toca aos limites de velocidade) e na melhoria do piso das nossas estradas?
Já pensaram que em vez de manter o status quo da adoração do automóvel os Srs deveriam era lutar para que mais e mais pessoas mudassem de hábitos e seguissem o exemplo do Sr. de 82 que continuava a ter uma vida activa? Ainda para mais numa altura em que todos sabemos que cada vez mais as diabetes, obesidade, doenças pulmonares são cada vez mais problemas de saúde pública que têm como elo de ligação o sedentarismo e a cultura do automóvel?
Já pensaram que com a vossa notícia pode haver outros filhos / pais que não irão deixar os seus pais / filhos andar de bicicleta? Enquanto continuam a andar de carro a velocidades acima das permitidas, a conduzir enquanto falam ao telemóvel e a conduzir após beberem?

Estou chocado!
Não pela morte do Sr. coisa que infelizmente já começa a ser habitual, mas sim pela continuado atropelo dos direitos das pessoas circularem devagar e, pelo continuado endeusamento do automóvel!
Confesso que não estava à espera que o vosso jornal publicasse esta notícia desta maneira!

Cumprimentos
Frederico Bruno Ferreira
http://voudebicicleta.eu

A carta foi dirigida à redacção de Leiria, com conhecimento o director e editores.»

Luís Marques escreveu na Mailing List nacional

Não seria possível enviar para o jornal uma coluna de opinião, carta do leitor, ou de algum modo pedir a alguem conhecido que escreva no jornal um comentário sobre estes pontos que vocês referem? Nomeadamente:

- explicar, muito educadamente, porque é que esta exposição típica dos factos, que responsabiliza o ciclista sem detalhar a situação, não é responsável

- reiterar a necessidade de mudança do código de estrada

- referir que existem documentos como [1], e outras iniciativas da união europeia, que apelam a mudanças nos hábitos de transporte que vocês já conhecem

Luís

[1] http://ec.europa.eu/environment/cycling/cycling_pt.pdf