BICICLETADA DE NOVEMBRO - COIMBRA

Lá chegámos os únicos dois participantes desta bicicletada bem fresca e nocturna ao largo da Portagem, por volta da hora marcada. Depois de um pequeno desentendido sobre o local exacto da "sombra do Mata-Frades" à hora marcada, e de esperarmos um pouco por possíveis aventureiros de cachecol e luzes nas bicicletas, lá partimos os dois para o trajecto habitual, com o muito trânsito habitual, talvez um pouco menos graças aos 99% de aderentes à greve nacional, perdão, os 1% de aderentes, bem é uma pequena discrepância de números, o melhor é confiar nos números do governo, que esse nunca enganou os portugueses!

Chegados à zona dos semáforos do Palácio da Justiça, encostámos as bicicletas a uma parede, tentamos tirar a foto do registo do momento, mas a máquina estava com as baterias descarregadas e, finalmente, lá começámos a distribuir os panfletos, como já é também apanágio desta nossa intervenção cívica. Princípio de noite fria, muitos carros já com os vidros corridos até cima, e muitos a não aceitarem os inofensivos panfletos. Quando os semáforos esverdeiam, lá regressamos para junto das bicicletas, conversamos um pouco, e quando o trânsito pára, lá voltamos à distribuição. Nestas conversas sempre muito animadas e concorridas, lá decidimos que a única hipótese de algum participante habitual ter falta com justificação, é se participar numa outra bicicletada, nacional ou estrangeira.

O melhor da noite estava para vir, quando o semáforo esverdeou uma vez mais e saímos da faixa de rodagem para o passeio e começámos a voltar para o local de início, comentava eu com o Paulo Adriano que tinha acabado de dar um panfleto a um gajo meu conhecido, ele olha para a frente e diz: - Eh pá, está um gajo a levar a tua bicicleta!

Bom, até me deu um aperto no coração. Acelerámos o passo, para corrida, eu a tentar ver alguma coisa, vejo a bicicleta do Paulo sózinha, depois lá vejo um gajo a sair a correr, mas sem bicicleta, por detrás de um contentor do lixo, dobra a esquina, mas eu e o Paulo parámos junto ao contentor porque a bicicleta estava ali encostada. Vá lá, ainda teve aquele cuidado de não a mandar para o chão. Se se tivese montado na bicicleta lá iria eu ter que pedalar atrás dele, mas acho que estes drogaditos modernos nem sequer se sabem equilibrar em cima de rodas, a especialidade deles é o treino de equilibrismo em cima de agulhas, e a totalidade deles acaba por se espetar mesmo! Acabei por não o perseguir, e voltei a encostar a bicicleta no local inicial, mas antes de irmos distribuir mais panfletos, lá passámos a corrente do Paulo nas duas bicicletas.

Sou mesmo malfadado, mas tive a sorte de não estar sozinho e o Paulo estar atento! Em jeito de piadinha lá disse ao Paulo que o fdp tinha escolhido a bicicleta mais bonita!

Comentários

F**da-se!

Que história horrenda! Só para quem não sabe o que é uma bicicleta para algumas pessoas: qual maddy, qual caral**! Estou capaz de bater em alguém! E tu, JPcabr**, saiu-te, hoje 6ªf, o euromilhões! E eu ainda estou com o coração apertadinho! Vou é já deitar-me e tentar acalmar-me! Tempos modernos...graças aos deuses! É que até os meliantes me saem cá uns...medíocres! Graças aos Deuses, tempos modernos!

ahahahahh :-)

Só histórias engraçadas aí em Coimbra ;-) :-)

Aqui em Aveiro também esteve frio e fomos apenas 3 pessoas :-)

---
JPCasainho - www.Casainho.net