Bicicleta no Andanças 2008

O Andanças é um festival de danças e músicas tradicionais, que se tem realizado anualmente em Agosto, e que desde 1999 assenta arraiais na aldeia de Carvalhais no concelho de São Pedro do Sul. O festival é bem conhecido no exterior e tem recebido pessoas de vários países como Espanha, Itália, França, Bélgica, Holanda, Alemanha, etc, - terá sido visitado por 25 mil pessoas na edição de 2008!

"O Andanças é um festival onde não se vem ver, vem-se fazer."

Além das músicas, danças tradicionais e outras coisas, foi também feito muito trabalho de ecologia, pela equipa EcoAndanças, pelos EcoVoluntários e por todos os visitantes. Um dos trabalhos que mais se notou este ano foi o "descartável zero", em que não haviam copos de plástico, garrafas de plástico, pratos de plástico nem talheres de plástico, em todo o festival! - sabem como são aqueles outros festivais em que o chão está repleto de copos plásticos amassados que dizem "Super Bock"? - No Andanças isso não existe, é uma Festa limpa, muito agradável, sem poluição ;-) -- para saberem mais sobre o assunto, recomendo que leiam todas as edições do jornal diário do Andanças.

Mobilidade no Andanças

Num festival com uma componente tão ecológica, é lamentável que mais de 99% das pessoas tenham se deslocado de carro. Contudo, existiram algumas iniciativas relacionadas com a bicicleta e carros mais ecológicos(??), como a utilização para carga (no interior de festival) de carros eléctricos desenvolvidos por empresas locais.

Encontrei no Andanças 6 pessoas da Massa Crítica, das cidades de Aveiro, Coimbra e Lisboa. Falaram-me de várias pessoas da MC de Lisboa que "conheço" apenas das suas actuais participações na mailing list ;-)

Falei também com algumas das poucas pessoas que foram de bicicleta, guardei algumas ideias práticas para sugerir/trabalhar em conjunto com a organização do Andanças, para que em 2009 seja fácil para todas as pessoas levarem a sua bicicleta.

De bicicleta para o Andanças

Eu e mais dois amigos tivemos a ideia de ir a pé em género de peregrinação, mas rapidamente decidimos ir antes de bicicleta. Eu acabei ainda por ir de carro porque o meu avô está doente e eu poderia ter de voltar rapidamente para casa. A história da nossa aventura foi publicada no jornal diário do Andanças de 9 de Agosto:

Ontem o Jornal Andanças conversou com Casainho, um andante de Águeda que está no festival pela 8a vez e que tem participado activamente nas conversas do EcoAndanças. Gosta de ouvir as medidas que são promovidas por cá e de também partilhar as suas ideias. Este ano, pela primeira vez, teve a ideia de vir de bicicleta!

Convenceu dois amigos mais sedentários e lá vieram 60 km a pedalar, desde Águeda até Carvalhais! Apesar de Casainho ter vindo de carro, por motivos familiares, trouxe na bagageira a sua bicicleta desdobrável. Estacionou o carro no passado Sábado e, desde então, a “buga” passou a ser o seu meio de transporte.

Os três amigos têm explorado os arredores, vagueado pelo sopé da serra da Arada, já foram várias vezes rio, ao Poço Azul e ainda às compras ao supermercado! E sempre, sempre sobre as duas rodas! “As pessoas quando nos vêem dizem que também deveriam ter trazido as bicicletas, ou lamentam o facto de não haver por cá a possibilidade de as alugar”, contou-nos o nosso biciclante. “Julgo que quem vem para este festival procura a tranquilidade da serra, a calma do verde. A enorme quantidade de carros que invadem o recinto, durante esta semana, acaba com todo o espírito eco”, esta opinião de Casainho é partilhada por muitos outros andantes.

Apesar de reconhecer os esforços ambientais deste festival, Casainho lança-nos novos desafios: “para o ano poderíamos promover uma peregrinação até ao Andanças, uma autêntica caminhada rumo ao festival! Ou então, uma mega concentração de bicicletas. Acima de tudo, as bikes permitem passeios muito sociais”. Claro que para isso seria necessário criar outras infra-estruturas, Casainho deixa algumas sugestões: “implementar parques de estacionamento para bicicletas, que não acarretam custos elevados e também um “atrelado” para os autocarros”. Se o Andanças já caminha rumo ao descartável zero, porque não insistir na tecla carro zero?


Internet para pessoal com pedalada

Tive a oportunidade de experimentar (e ficar convencido) o sistema "pedal power". O responsável pelo projecto foi o "Chico", tivemos grandes conversas sobre o sistema, como o optimizar, computadores e GNU/Linux, etc :-)

O projecto teve destaque no jornal diário do Andanças de 4 de Agosto:

É muito simples: basta pedalar para navegar ;-)

Trata-se de um acesso internet gratuito onde cada um@ produz a sua própria electricidade: a partir de algum material reciclado e de baixo custo, “low-tech” e DIY*, uma bicicleta transforma calorias humanas em energia motora, enquanto um dínamo reciclado a partir de um motor de ventoinha de Volkswagen Golf II por sua vez transforma essa energia motora em electricidade, corrente continua em 12v. Isto tudo alimenta um laptop (que consome cerca de 25~30W, ou seja provavelmente 10x menos que um desktop) instalado com o sistema operativo gratuito e livre GNU/Linux Ubuntu, porque nem tudo na vida pertence à Micro$oft nem ao nosso amigo Bill Gates ;-)

O intuito é o de oferecer um acesso à net “grátis” num computador com software público, sensibilizando as pessoas para os custos de produção da energia que toda a gente desperdiça, e tudo isto aproveitando para fazer exercício!

*do it yourself – faça você mesmo

Comentários

Esqueçam.. Não tinha visto

Esqueçam.. Não tinha visto o post todo, só o que estava na página principal.. DâH!

Net a pedais no Andanças

Também de referir a net a pedais! Havia net paga e havia net gratuita em que era preciso alguèm pedalar numa bicicleta para alimentar um portátil para se poder aceder á internet...